Buscar
  • Marcela Argollo

Relações duradouras são de perfil Ganha - Ganha

Com o mundo atual extremamente competitivo, com oportunidades cada vez mais escassas e requisitos cada vez mais exigentes, a grande demanda de pessoas no mercado de trabalho bem como a alta qualificação destes, fazem com que as relações corporativas utilizem a premissa que advém do mundo esportivo relação Ganha-Perde. No esporte fatalmente algum time ou atleta perde e outro ganha. Porém nas relações corporativas nem sempre esta é a melhor opção de relação. As relações mais sadias e duradouras são as ganha-ganha, e para que isto ocorra, é necessário muito diálogo entre as partes e o mais importante: cada um se colocar no lugar do outro para também conseguir compreender o que está lhe sendo solicitado/exigido e consequentemente conseguir realizar o ato do ceder para itens os quais não irão interferir no seu posicionamento quanto a negociação. Os relacionamentos corporativos necessitam mais parceria e espírito de equipe! Desta forma, com a esforço de todos os colaboradores em prol de um único objetivo, a organização certamente conseguirá obter os ganhos esperados e projetados. A reflexão a ser feita é: sozinho se vai mais rápido, porém junto se vai mais longe. 


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Cresci ouvindo a frase: você tem que viver “dormindo com o inimigo”. No último mês me peguei pensando, refletindo e desafiando a interpretação dessa frase. Aprendi nos meus últimos 4 anos que para con

A Era industrial trouxe consigo alguns marcos importantes no modo de agir das organizações e colaboradores. Na década de 1920 emergiu a produção em massa, passando pela eficiência nos meados de 1950,

Uma das consequências do mundo globalizado e competitivo em que estamos vivendo hoje é a síndrome de burnout (distúrbio causado pelo esgotamento físico e mental dos profissionais), resultando assim em