Buscar
  • Marcela Argollo

Você tem coragem para ser imperfeito?

Viver é experimentar incertezas, riscos e se expor emocionalmente, e isso não necessariamente precisa ser visto como algo ruim. Afinal atualmente estamos vivendo o tão falado mundo VUCA (Volatility, uncertainty, complexity and ambiguity).

Para conseguir se adaptar a esse mundo que estamos vivendo atualmente, necessitamos inicialmente conseguir conviver com a vulnerabilidade e incertezas intrapessoal. Creio que para uma pessoa perfeccionista como eu, conseguir dar esse passo e mudança de mindset é um trabalho árduo e diário, porém bastante necessário para “sobrevivência”, principalmente no mundo corporativo.

Estar aberto às novas possibilidades em um ambiente de incertezas certamente passa pelo desejo e coragem de transitar em novos caminhos nunca antes detectados. Para que consigamos chegar neste grau de abertura e encontro de novos caminhos, necessitamos antes algumas fundamentações como o autoconhecimento, autoconsciência, autoaceitação e autoconfiança (pilares essenciais para o desenvolvimento de uma forte autoestima).

Coragem é o medo dominado, dá o ar de sua graça quando descobrimos o nosso propósito. A vontade, ou melhor, a força de vontade de realizá-lo é tanta que não medimos esforços para viver essa realidade.


A vulnerabilidade não é uma medida de fraqueza, mas uma boa forma de ter a experiência da coragem. Coragem de aceitar o novo, pois temos medo de errar e de fracassar.Por isso creio que o fracasso não pode ser definido como o antônimo de sucesso, pois para que se haja um sucesso é necessário se obter anteriormente inúmeros fracassos. Quando fugimos de emoções como medo, mágoa e decepção, também nos fechamos para o amor, a aceitação e a criatividade, características importantes do líder do futuro (empatia; compaixão; humildade e criatividade para resolução dos problemas).

Um bom líder deve sempre encorajar seus liderados a realizar algo, a tentar o novo, mesmo que o resultado não seja o esperado! Ele deve agir através de exemplos, reconhecendo também seus erros, e utilizando-os não somente como exemplo de aprendizado aos demais membros da equipe, mas também como forma de equalizar as pessoas como indivíduos imperfeitos. 

Como disse a escritora Brene Bronw:

“Precisamos que as pessoas sejam mais corajosas, e precisamos criar uma cultura que permita a coragem.”

Não devemos criticar o erro ou fracasso e sim analisar racionalmente onde ocorreu o erro, corrigi-lo a tempo e tentar novamente. Errar é humano, é necessário e está tudo bem! Recalcular a rota, é, muitas das vezes o melhor a se fazer frente a situação que se está vivendo. Uma pequena mudança de direção hoje, te levará a um destino totalmente novo.


Deixe aqui seu comentário sobre experiências onde precisou, com coragem, recalcular a rota!!


0 visualização
 

Formulário de Inscrição

11-987717712

©2020 por Marcela Argollo. Orgulhosamente criado com Wix.com